Congonhas MG é conhecida como a Cidade dos Profetas, um local bem interessante para quem se interessa por história, arte e religião. A cerca de 1h30 de distância de Belo Horizonte, é um ótimo destino para um fim de semana ou mesmo um bate-volta para os mais dispostos.

Foi uma cidade que me surpreendeu positivamente e, mesmo que quase todas as suas atrações estejam relacionadas ao catolicismo, vale a pena visitá-la mesmo que você não siga esta ou outras religiões. Os pontos turísticos são muito bonitos e a história por trás de cada um deles é muito interessante!

Quer conhecer um pouco mais de Congonhas MG? Então aproveite as informações a seguir:

Como chegar em Congonhas MG?

Saindo de BH é muito simples chegar em Congonhas. Pegue a BR 040/BR 356 sentido Rio de Janeiro e siga em frente por cerca de 60km. Nós viemos seguindo o Waze para saber quando entrar na cidade e foi muito tranquilo.

Essa rota tem um pedágio de R$5,30 (em julho/2019) entre Nova Lima e Itabirito.

Se preferir ir de ônibus, existem várias linhas que fazem o trajeto entre Belo Horizonte e Congonhas, além de ser possível chegar à cidade a partir de vários outros destinos, tanto em Minas Gerais quanto em outros estados. A passagem a partir de BH custa cerca de 30 reais.

Onde ficar em Congonhas MG?

Congonhas é uma cidade pequena em relação aos pontos turísticos, que estão bem próximos uns dos outros. Além disso, o trânsito da cidade é um pouco lento e não é muito fácil encontrar lugar para estacionar (essa foi nossa experiência em uma quarta feira “comum”, com poucos turistas na cidade).

Por isso, minha sugestão é se hospedar em um local onde dê para chegar aos pontos turísticos caminhando, assim você deixa o carro no estacionamento ou não se preocupa com transporte se tiver ido de ônibus.

Hotel em Congonhas

Nós sempre preferimos reservar nossas hospedagem pelo Booking (ou, em alguns casos, pelo Airbnb), por considerarmos mais cômodo e mais seguro. Em Congonhas não existem muitas opções no site, mas encontramos o H2 Hotel, que nos atendeu super bem!

Como sou cliente Genius (programa de fidelidade do Booking), nós pagamos 160 reais em uma diária para duas pessoas, mas o preço normal é 190 reais. O H2 Hotel é bem novinho e está fora da parte histórica da cidade. Não fica super pertinho dos pontos turísticos, mas conseguimos fazer tudo andando tranquilamente, em uns 20 minutos de caminhada até a primeira parada.

Tem café da manhã, wifi (um pouco lento, mas estou usando ele para escrever esse post, então tá ok), academia, serviço de quarto (pagamos R$40 em uma pizza bem gostosa para duas pessoas), estacionamento fechado, ar condicionado no quarto e TV a cabo. Todos os funcionários foram super simpáticos e atenciosos, gostamos muito!

O que fazer em Congonhas?

As principais atrações de Congonhas MG estão bem próximas umas das outras, o que facilita muito o roteiro e a caminhada, além de fazer com que seja possível conhecer a cidade rapidamente. Outra vantagem da cidade é que é muito barato turistar ali, já que praticamente todos os pontos turísticos têm entrada gratuita.

Matriz de Nossa Senhora da Conceição

igreja matriz

A Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição fica um pouco afastada das outras atrações de Congonhas, então decidimos passar lá primeiro. Infelizmente ela estava fechada e só conseguimos ver do lado de fora. É uma construção muito bonita, que foi finalizada em 1735!

Igreja de São José

igreja sao jose

Saímos da Igreja Matriz e fomos caminhando em direção ao centro histórico, que é onde ficam os principais pontos turísticos de Congonhas. Subindo a Rua Bom Jesus encontramos a Igreja de São José, que é pequenininha mas muito linda! Ela foi construída em 1817.

Museu da Imagem e Memória de Congonhas

museu imagem congonhas

Continuamos subindo a rua e chegamos ao Museu da Imagem e Memória de Congonhas, que tem entrada gratuita. Hoje ele é um museu que conta um pouco da história da cidade, com foco nas pessoas que vivem ali (pessoas comuns mesmo, que dão vida a Congonhas).

Estava tendo uma exposição com fotos de mulheres maravilhosas que são mães. Além disso, alguns objetos pessoais dessas mulheres e objetos antigos também estavam no acervo.

Porém, uma moça que trabalha lá nos contou que grande parte do acervo do museu já havia sido retirado, pois ele vai passar por uma reforma e em breve vai se tornar um museu em homenagem a Zé Arigó, um paranormal que curou milhares de pessoas do mundo inteiro que iam até Congonhas procurá-lo. No site oficial de Congonhas você pode conhecer um pouco mais de sua história!

Santuário do Bom Jesus de Matosinhos

congonhas mg

O Santuário do Bom Jesus de Matosinhos é o cartão postal de Congonhas MG, já que é ali onde está localizada a igreja e os 12 profetas esculpidos por Aleijadinho em pedra-sabão, que dão à cidade o apelido de “Cidade dos Profetas”.

Ele é considerado um conjunto arquitetônico, composto pela igreja e seis capelas. As capelas contam um pouco da história dos “Passos da Paixão de Cristo”, desde a ceia até sua ressurreição, com esculturas de madeira feitas por Aleijadinho, Mestre Ataíde e outros artistas.

Museu de Congonhas

congonhas mg

Ao lado do Santuário do Bom Jesus do Matosinhos está o Museu de Congonhas. Nós visitamos primeiro o Santuário e depois o Museu, mas eu recomendo que você faça o contrário.

No Museu de Congonhas você vai conhecer um pouco da história do Santuário, de suas capelas, dos profetas… Eu acho interessante ter essas informações antes de visitar o santuário, assim você vai entender melhor a ideia e a proposta do local. Além disso, o museu é uma homenagem a Aleijadinho e suas obras.

  • Ele funciona de terça a domingo, de 9h às 17h e o ingresso custa 10 reais (inteira). Exceto às quartas feiras, que a entrada é gratuita e o funcionamento é de 13h às 21h.

Romaria

No fim da rua onde está o Museu de Congonhas fica a Romaria que, infelizmente, estava fechada quando visitamos. No século XVII ela funcionava como uma pousada que cobrava um valor muito acessível para as famílias pobres que iam até a cidade para o Jubileu do Bom Jesus de Matosinhos.

Ela foi demolia em 1968 por uma empresa que pretendia construir um hotel ali, mas a obra nunca foi para frente. Em 1994 a prefeitura da cidade começou a reconstruir a Romaria com as mesmas características da pousada original, e hoje funciona ali um Centro que busca preservar a história, o lazer, a cultura e o turismo de Congonhas, com vários museus, exposições e mais!

Outras dicas úteis sobre Congonhas MG

  • É mais interessante fazer os passeios a pé, principalmente em épocas de férias e feriados, quando a cidade recebe mais turistas. O trânsito não é muito bom e não há muito lugar para estacionar;
  • Se for fazer tudo caminhando, prepare-se para subir bastante. As principais atrações estão no alto de uma ladeira, e as ruas são todas de pedras bem irregulares;
  • USE ROUPAS E CALÇADOS CONFORTÁVEIS!
  • Se quiser comprar lembrancinhas, no Santuário do Bom Jesus do Matosinhos tem uma loja ótima, ao lado da igreja! Estou recomendando porque não vi muitas lojas desse tipo na cidade e achei que as coisas ali seriam caríssimas por ser o principal ponto turístico da cidade, mas achei os preços ótimos.
  • Dá para conhecer a cidade tranquilamente em um dia. Na minha opinião, não é necessário passar mais de uma noite ali.
  • Depois que já tinha ido embora eu descobri que a cidade tem fama de não ser muito segura. Achei o centro histórico bem tranquilo, mas a parte “normal” de Congonhas é igual ao centro de qualquer outra cidade e vale sempre ter cuidado e atenção!

Congonhas é uma cidade linda, cheia de história para contar, além de arte e cultura! O que achou da “Cidade dos Profetas”? Deixe um comentário e me conta sua opinião!


Vai viajar? Faça suas reservas com nossos parceiros!

Fazendo suas reservas com as empresas parceiras, você não paga nada a mais por isso e ajuda o blog a se manter, pois a cada venda nós ganhamos uma pequena comissão. Dessa forma, podemos continuar produzindo conteúdo gratuito e te ajudando a viajar mais e mais! Só indicamos empresas de nossa confiança!
 
Author

Débora, 24 anos, apaixonada por viagens e fotografia. Quanto mais eu viajo, mais eu quero viajar. Quanto mais eu conheço o mundo, mais eu me apaixono por ele...

Escreva um comentário