Vez ou outra eu me lembro de alguns perrengues e histórias engraçadas que aconteceram comigo durante as viagens. Esses dias me lembrei do dia que fui visitar a estátua da liberdade, em Nova York. Essa é uma daquelas histórias que parecem mentira, mas juro que cada detalhe é real, mais até do que eu gostaria! Mas, no fim, virou uma daquelas histórias que a gente conta pros amigos e ri muito. Isso é para vocês verem que a falta de planejamento faz muuuuita falta em uma viagem!

Eu já contei para vocês que fiz um intercâmbio na Philadelphia, junto com meu namorado. Nosso voo de volta para o Brasil sairia de Nova York e, como era meu sonho conhecer a cidade, nós resolvemos passar uns dias lá antes de voltar para casa. Como eram os últimos dias da viagem de mais de um mês, o dinheiro já estava no fim e nós queríamos economizar o máximo possível. Acreditam que passamos cinco dias em Nova York sem usar o transporte público nem uma vez, só andando a pé?

No último dia, fomos conhecer a Estátua da Liberdade. Para situar vocês, estávamos hospedados bem pertinho da Times Square, que fica a 7km da estátua. Estávamos totalmente sem internet durante essa viagem, nem o hotel tinha wi-fi, então não dava para consultar o Google Maps. Pegamos um mapa da cidade na recepção do hotel, achamos a estátua e pensamos “é pertinho, com certeza dá pra ir andando! Se conseguimos fazer tudo a pé nessa cidade, não é hoje que vamos gastar dinheiro com metrô! É bom que vamos conhecendo essa parte da cidade!”

Ah, santa inocência (para não dizer outra coisa)! No começo estava tudo lindo naquela cidade incrível! Mas o tempo foi passando, já havíamos andado muito e não estávamos nos entendendo muito bem com o mapa. Passou meia hora, uma hora e nada da bendita estátua… Continuamos verificando o mapa, entramos em algumas lojas, paramos pra comer, andamos, andamos, andamos… Finalmente pensamos em pegar o metrô, mas além de não saber onde era a estação mais próxima, já havíamos andado tanto que não tinha a possibilidade de estar longe, né? Tinha sim, e estava!

Depois de duas horas andando, finalmente chegamos no famoso Touro da Bolsa de Valores e isso significava que estava finalmente chegando! Yessssss! Mas calma que ainda tem mais! Para ver a estátua existem duas opções: você paga para chegar lá bem pertinho dela, ou você pega uma balsa gratuita que passa em frente mas não para nem chega perto. Como o objetivo era economizar, claro que escolhemos a balsa gratuita.

Além da distância que passamos dela, o dia estava com muita neblina. Então, a bela estátua praticamente desapareceu! Pensa no tanto que as fotos ficaram ruins? Sem falar que estava muito frio e quase impossível ficar do lado de fora da balsa, onde dava para “ver melhor” a estátua.

Mas, e na hora de voltar? Adivinha o que nós fizemos? Não achamos nenhuma estação de metrô e voltamos andando!!!!!! Juro que dá vontade de me bater quando lembro disso! E, para finalizar, eu perdi todas as fotos desse dia! É azar demais ou não é? hahahahaha

Apesar de tudo, hoje eu morro de rir quando lembro desse dia e morro de saudades de NYC, a cidade que mais amo nesse mundo! Tem uma história bizarra e maluca tipo essa? Conta pra mim nos comentários, rs 🙂

Como conhecer a estátua da liberdade do modo muquirana, no blog E aí, férias!
Saiba mais sobre esse Patrimônio Mundial da Unesco, no blog Família viagem.


Vai viajar? Faça suas reservas com nossos parceiros!

Fazendo suas reservas com as empresas parceiras, você não paga nada a mais por isso e ajuda o blog a se manter, pois a cada venda nós ganhamos uma pequena comissão. Dessa forma, podemos continuar produzindo conteúdo gratuito e te ajudando a viajar mais e mais! Só indicamos empresas de nossa confiança!
 
Author

Débora, 24 anos, apaixonada por viagens e fotografia. Quanto mais eu viajo, mais eu quero viajar. Quanto mais eu conheço o mundo, mais eu me apaixono por ele...

13 Comentários

  1. hahaha coitadinha, na hora deve ter sido péssimo, mas relembrar é sempre divertido né.
    Acho que são essas coisas que deixam as viagens ainda mais divertidas, principalmente na hora de recontá-las. adorei o post

  2. É pra mostrar que não é porque a gente é blogueira que sabe tudo ahhaha é cada furada que a gente se mete, né?

    Mas aí fica a desculpa pra voltar só pra conhecer a estátua =)

  3. Jesus! Que perrengue, kkkk, imagino a frustração. Eu lembro das primeiras viagens que fiz com meu marido onde usávamos apenas o mapa em papel, nossa! como vivíamos sem o Google Maps? rsrs Amo NY, fui no reveillon de 98/99, quero voltar com meu filho e marido! Pensa no lado bom, se não viu direito a Estátua da Liberdade já é motivo para voltar a NY. Bjs.

  4. Ai, praticamente eu em NY! Sua história é quase a minha, mas, ao inves de andar, quase nadei de tanta chuva que estava no dia em que tentei conhecer a estatua. Chuva, vento, e frio! Nevou! E as unicas fotos que tenho sao da minha filha e do meu marido. Nem registro que estive la eu tenho 🙁 Mas NY é NY! 🙂

  5. O que seria viajar sem um perrengue? Não tem como, né? Que hotel você ficou? Eu fiquei perto da Times também e fui a pé fazer o cruzeiro da estátua, sabe, aquele que sai do Pier 83? Deu quase certo. Chegamos lá e eu tinha esquecido os ingressos no hotel, kkkk, tive que voltar para buscar, mas saiu o passeio e foi legal!

Escreva um comentário