DicasEuropaplanejamento

Seguro viagem é realmente necessário?

StethoscopeWorld-4
Muita gente vem me pedir informação sobre seguro viagem e eu sempre escuto coisas do tipo: “mas é realmente obrigatório?” ou “não queria gastar dinheiro com isso”. Meu conselho é sempre o mesmo: mesmo se não for obrigatório, NUNCA viaje sem seguro! Acidentes e doenças são imprevisíveis, podem acontecer a qualquer momento e em qualquer lugar do mundo. Mesmo que você tenha planejado cada segundo das suas férias dos sonhos, imprevistos acontecem e nessas horas é importante ter uma segurança extra.
Eu sempre indico o seguro da Mondial, que é parceira do blog e oferece 15% de desconto para os leitores do blog. É só clicar aqui e usar o código AFILI2016. 
Se preferir, você pode fazer comparar os preços de várias seguradoras através da Real Seguros.
Em alguns países o seguro é obrigatório.
Isso varia de país para país. Em alguns é obrigatório ter o seguro, e caso você não tenha corre o risco de ser deportado antes mesmo de entrar no país de destino. É o caso dos países europeus que fazem parte do Tratado de Schengen, que ainda exigem que a cobertura seja de no mínimo 30 mil euros. Em outros países como Cuba, Venezuela e Austrália o seguro também é obrigatório. Antes de viajar, não deixe de pesquisar as regras e exigências do seu país de destino para não ter problemas ao chegar lá.
Imprevistos acontecem.
Então, você descobriu que seu país de destino não exige seguro, um gasto a menos, ótimo né? Não necessariamente… Como eu já disse, acidentes e imprevistos podem acontecer, e eu não estou sendo pessimista, apenas realista e prevenida. Não tem nada pior que precisar de atendimento médico quando se está em um país desconhecido, onde talvez você não fale o idioma, não conheça nenhum hospital e muito menos um médico de confiança. Essa semana eu vi uma discussão em um grupo de mochileiros, na qual um rapaz disse que não achava necessário fazer seguro viagem e que isso dependia da confiança do viajante. Mas alguém aí confia 100%  que nada vai dar errado? 
Corremos mais riscos durante as viagens.
Por favor, não me entendam mal. Não estou dizendo que viajar é perigoso, nem quero deixar ninguém assustado. Mas, durante uma viagem, nós normalmente caminhamos e fazemos mais esforços físicos que o normal, muitas vezes passamos por uma brusca mudança de temperatura, comemos comidas diferentes… Sem contar que podemos cair e machucar, ficar gripados, sentir dor de dente, pegar algum vírus ou comer alguma coisa estragada, coisas que poderiam acontecer com qualquer pessoa estando em casa ou do outro lado do mundo. A Camila Lisboa contou no seu blog sobre o dia que pegou Chikungunya na Colômbia e o Rozembergue contou sobre os dias que ele ficou de cama no Chile.

Você vai economizar muito se tiver o seguro e precisar de atendimento.
Caso aconteça alguma coisa, se você tiver contratado um bom seguro você pode entrar em contato com a empresa que irá te encaminhar até um bom hospital ou enviar um médico até seu hotel. Normalmente o seguro também paga os medicamentos e exames necessários. Sem o seguro, você provavelmente terá que desembolsar um bom dinheiro pelo atendimento médico e tudo mais que for necessário, já que a maioria dos países não oferece serviços públicos de saúde. E essa conta costuma sair bem cara! Além de ter que pagar pelas despesas médicas, sem seguro você terá que se virar para encontrar um hospital, farmácia… Agora imagine se acontece algo mais grave, você precisa se internar, mudar a data de volta para casa ou precisa que alguém saia do Brasil para te acompanhar. Se tiver o seguro, ele irá pagar tudo isso, caso contrário seu prejuízo será enorme.
O seguro oferece outras assistências.
Além da assistência médica, a maioria das empresas oferece assistência jurídica, pagamento de fiança, orientação caso você perca seus documentos e indenização caso sua bagagem seja extraviada.
ORGANIZE SUA VIAGEM COM OS PARCEIROS DO BLOG

Encontre os melhores hotéis através do Booking.com 
Ganhe desconto na primeira reserva de apartamentos por temporada no Airbnb 
Contrate seu seguro com 15% de desconto na Mondial Assistance (código AFILI2016)
Compare os preços das melhores empresas de seguro viagem na Real Seguros

Depoimentos
Como eu, graças a Deus, nunca precisei usar o seguro de viagem, pedi o depoimento de alguns amigos blogueiros que já precisaram. São histórias reais, para vocês verem que nunca é demais se prevenir.
“Na minha viagem ao Chile, devido as baixas temperaturas acabei ficando muito gripada. E depois do dia que fizemos snowboard e ficamos o dia todo na neve, senti que os sintomas pioraram bastante e temendo uma pneumonia resolvi ligar para o seguro viagem. Foi muito bom, pois logo solicitaram o atendimento e o médico veio me atender no hotel, às oito horas da noite. Ele avaliou o meu quadro e  já me deu os remédios que eu precisava tomar. Tudo muito tranquilo, sem stress nenhum. Não tive que desembolsar nenhum valor extra e fui muito bem atendida, podendo continuar a viagem sem problemas!” Tássia Corina do blog Com os pés no mundo.
“No meu primeiro mochilão pela América do Sul em 2007, acabei deixando o seguro viagem de fora. Embarcamos para uma viagem maravilhosa que virou um desastre no primeiro dia. O voo para a Bolívia foi cancelado, mas conseguimos uma transferência para o Chile, que não estava no roteiro, e foi uma empolgação só. Chegamos no Chile sem lugar para ficar, arrumamos um albergue e fomos. Estava louca por um banho após um final de semana inteiro no aeroporto e mal sabia o que me esperava. Escorreguei entrando no banheiro e pum! No PRIMEIRO dia da viagem eu fraturei o úmero. Na manhã seguinte a dor era grande e fui parar em um hospital próximo, eu não falo espanhol e só entendi o médico falar de um tal de “pino”. Eu sei que no final me imobilizaram, paguei uns U$100 (dólares) neste hospital. De lá saí atrás de um ortopedista que falasse inglês para que eu pudesse saber o que aconteceu de verdade, e lá foram mais U$300 em consulta, mais o raio X,  mais alguns remédios para amenizar a dor e a recomendação de voltar para o Brasil. Além de toda a perda de dinheiro nas consultas, remédios, foram as ligações, as andanças atrás de um médico, pagar a taxa administrativa para remarcar a passagem e toda a frustração da volta para casa depois de tantos planos.” Juliana Brandão, do blog Arrumei as malas e parti.
“Meu filho mais velho era asmático. Usamos o seguro várias vezes em Villa la Angostura, em Bariloche e em San Martin de los Andes. O médico ia ao hotel sem problema. Em San Martin ele teve que ir ao hospital público fazer nebulização. Recomendo demais procurar seguro de saúde, pela segurança e tranquilidade.” Adriana Magalhães, do blog Atravessas Fronteiras.
Além do seguro viagem, também é muito importante ter um seguro para o carro, caso você vá alugar um. Veja a experiência da Viviane Inglez, do blog Trilhas e Cantos.
*Comprando seu seguro através dos links indicados aqui, o blog ganha uma pequena comissão e você não paga nada a mais por isso (na verdade você pode ganhar um desconto!). Assim você apoia meu trabalho e ainda vai viajar com mais segurança!
0
Débora Resende
Débora Resende

Débora, 22 anos, apaixonada por viagens e fotografia. Quanto mais eu viajo, mais eu quero viajar. Quanto mais eu conheço o mundo, mais eu me apaixono por ele…

19 Comments

Leave a Comment