Destino RBBVIntercâmbio

Intercâmbio profissional na Sérvia pela AIESEC

estagioaiesecservia-9
Meu intercâmbio na Sérvia foi uma das experiências mais legais que eu já vivi. Como eu já tinha feito um intercâmbio para estudar, decidi que o próximo seria um intercâmbio de trabalho para ter uma experiência nova e bem diferente.
Uma foto publicada por Débora Resende (@deehre) em Jul 23, 2015 às 4:06 PDT

AIESEC

Escolhi fazer pela AIESEC, pois, além de gostar muito da proposta e do trabalho da organização, o valor do intercâmbio ficaria bem menor do que se fosse por uma agência. Eu tive alguns problemas com a AIESEC durante o processo de busca de vagas e até durante o intercâmbio, mas foram problemas pequenos que não atrapalharam a minha experiência. Para quem me pergunta se eu recomendo a organização, eu recomendo sim, mas só para quem tem a cabeça 100% aberta, está disposto a ir para qualquer lugar do mundo sem escolher muito e sabe que nem tudo será do jeito que você quer, como seria em uma agência de intercâmbio onde você escolhe todos os detalhes.

O estágio

O destino me mandou para a Sérvia, um país que eu nem sonhava em conhecer e acabei me apaixonando. Dentre os intercâmbios que a AIESEC oferece, eu escolhi o profissional e fui trabalhar na área de marketing de uma empresa de T.I por 6 semanas.

No começo eu fiquei com bastante medo de não me adaptar à empresa e não conseguir me comunicar somente em inglês com profissionais completamente diferentes de mim. Mas, chegando lá, eu fui super bem recebida e todos os colegas de trabalho foram super pacientes comigo, especialmente o meu chefe que me ensinou tudo que eu teria que fazer com muita calma, me mostrou um pouco da cidade e me deu até dicas de viagens.

Uma das coisas que eu mais gostava na empresa é que eu tinha bastante flexibilidade. Meu horário de trabalho era flexível e se eu quisesse eu poderia trabalhar em um parque ou um café ao invés de ficar no escritório. A única exigência era que eu fizesse meu trabalho direito, independente de onde, quando e como. Isso é uma coisa incrível, que eu acho que as empresas brasileiras deviam aprender.

Acomodação: Dormitório estudantil

Eu trabalhava seis horas por dia, então tinha parte da tarde e a noite livre para fazer o que quisesse. Normalmente eu ficava no dormitório descansando ou saia com meu amigos intercambistas. No período que eu estava lá, tinham vários outros intercambistas da AIESEC de vários países e a maioria estava no mesmo dormitório que eu.

Os quartos eram compartilhados e eu tive roomates tunisianas, brasileiras, portuguesas e russas, e além disso conheci gente da Itália, Turquia e claro, da Sérvia e de outros países. Acho que posso dizer que o dormitório foi a parte mais difícil do meu intercâmbio, mas ao mesmo tempo foi uma experiência bem enriquecedora. É muito difícil dividir um espaço tão pequeno com pessoas tão diferentes e conviver com as manias de alguém que vive em uma outra cultura.

Nós dizíamos que estar naquele dormitório, era como estar em uma novela mexicana. Todos os dias acontecia alguma coisa diferente, gritaria, romance, intrigas, brigas (uma vez rolou porrada e até sangue), conversas em outras línguas, música do mundo inteiro, cheiro de comidas bem diferentes… Foi muita loucura morar em um dormitório estudantil, mas eu estava buscando experiências diferentes e eu consegui.

Belgrado <3

Belgrado é a capital da Sérvia, e apesar de não ser uma cidade cheia de atrações e coisas para fazer, eu me apaixonei pela cidade. Eu tive a oportunidade de conhecer bastante sobre a cultura e a história do país. Fui em um festival que tinha shows de algumas bandas sérvias e foi muito engraçado ver o público se divertindo trombando uns nos outros no ritmo da música. Inicialmente eu achei que era briga, mas vi as pessoas pedindo desculpa se trombavam muito forte e descobri que era só brincadeira mesmo.

Os sérvios são pessoas incríveis, super receptivas e alegres. Eu fiz amizade com vários atendentes das lojas e restaurantes que eu ia todos os dias e a gente sempre batia papo. Aprendi um pouco sobre as guerras que aconteceram no país e como isso os afeta até hoje, e também conheci Montenegro, país que se separou da Sérvia em 2006. Aprendi o alfabeto cirílico e algumas palavrinhas em sérvio, hvala!*


Uma foto publicada por Débora Resende (@deehre) em Ago 3, 2015 às 3:17 PDT

Claro que não foi tudo perfeito, em alguns momentos eu só queria chorar e voltar pra casa, mas isso faz parte de qualquer intercâmbio. Eu saí da minha zona de conforto como nunca tinha feito antes, aprendi demais, conheci pessoas maravilhosas, me conheci melhor, descobri que sou mais forte e mais capaz do que eu imaginava, evolui pessoal e profissionalmente. Foi uma das melhores e mais surpreendentes experiências da minha vida!


*hvala significa obrigada em sérvio




ORGANIZE SUA VIAGEM COM OS PARCEIROS DO BLOG

Encontre os melhores hotéis através do Booking.com 
Ganhe desconto na primeira reserva de apartamentos por temporada no Airbnb 
Contrate seu seguro com 15% de desconto na Mondial Assistance (código AFILI2016)
Compare os preços das melhores empresas de seguro viagem na Real Seguros

0
Débora Resende
Débora Resende

Débora, 22 anos, apaixonada por viagens e fotografia. Quanto mais eu viajo, mais eu quero viajar. Quanto mais eu conheço o mundo, mais eu me apaixono por ele…

3 Comments

  • Deh, seu intercambio foi pra trabalho, especificamente estágio certo? Então só está disponível pra quem está cursando algum curso na faculdade?
    Tenho vontade de fazer esse intercambio pra estágio mesmo (não o voluntario), porém já terminei minha faculdade faz uns 3 anos.. hahahahaha

  • Oi Liine, se não me engano na AIESEC vc pode ter se formado a ate 2 anos pra se inscrever pra qualquer intercâmbio. Mas da uma olhadinha com ele, as vezes as regras mudaram e agora aceitam 3 anos, RS

  • Oi Liine, se não me engano na AIESEC vc pode ter se formado a ate 2 anos pra se inscrever pra qualquer intercâmbio. Mas da uma olhadinha com ele, as vezes as regras mudaram e agora aceitam 3 anos, RS

Leave a Comment