Navigation Menu

featured Slider

Destaques

Leia Também

Booking.com

Jogos de Escape: minha experiência no Escape Zone em BH

O Escape Zone é a casa de escape mais nova de BH, e a única que eu ainda não conhecia. Mas, eu e os blogueiros do @uaitravelmg fomos convidados pela empresa para conhecer suas duas salas: O Tempo e A Loira do Banheiro. Foi uma experiência incrível e eu vou contar tudo para vocês :)


Escape Zone Brasil

O Escape Zone está localizado na Rua da Bahia, 2610, quase na esquina com a Av. do Contorno. Apesar de não ser uma franquia, as salas do Escape Zone são compradas de outra empresa, o Escape Hotel, que fica em São Paulo. A sala "A loira do banheiro" é considerada uma das melhores de São Paulo, e agora nós podemos jogá-la em BH também. 

Logo na recepção você já vai encontrar uma decoração toda diferentona e vários joguinhos e enigmas, perfeito para passar o tempo enquanto espera o resto da turma chegar ou fazer o cadastro. Até a senha do wifi precisa ser desvendada!



As salas do Escape Zone

Atualmente o Escape Zone conta com duas salas, mas até o fim de julho de 2017 vão abrir uma sala nova e assim que eu souber mais sobre ela venho compartilhar com vocês.

Como eu disse, fomos jogar com outros blogueiros daqui de BH, que fazem parte do @uaitravelmg. Éramos 11 pessoas e nos dividimos em dois grupos, 5 na sala "O Templo" e 6 na sala "A loira do banheiro". Eu joguei a do Templo e adorei!

O Templo

"Você e sua equipe de arqueólogos vão encarar uma aventura cheia de mistérios em uma antiga construção maia cujas paredes guardam segredos há muito esquecidos. A missão de vocês é resgatar o tesouro que está guardado neste templo por mais de 2000 anos. Muitos já tentaram e não conseguiram."




O cenário é bem simples, mas consegui me sentir uma arqueóloga. Eu achei os enigmas muito bem pensados e bem diferente do que eu já tinha jogado. Depois de jogar algumas vezes (eu já tinha jogado em outras 6 salas antes dessa) a gente acaba aprendendo alguns truques, mas nesse jogo eu consegui aproveitar muito pouco da minha experiência prévia, porque é tudo bem diferente e eu achei isso o máximo! 

Eu e o Luiz jogamos com o Kiko e a Tássia, do blog Com os pés no Mundo e com a Antonella do insta @omundovistodomeujeito. Formamos uma ótima equipe e escapamos faltando cerca de 6 minutos (e nem usamos todas as dicas!)

A Loira do banheiro

"Há mais de 30 anos, Verônica foi morta no banheiro da escola onde estudava. Sua alma vaga desde então, e muita gente não tem coragem de chegar nem perto daquele banheiro, pois coisas terríveis podem acontecer. É hora de você e sua equipe encararem o medo e libertarem a alma de Verônica."

Eu não quis saber muito sobre essa sala porque ainda quero jogá-la, então tentei fugir de spoilers (sem tanto sucesso, né @casalpelomundoo? haha). Mas o que eu sei e posso compartilhar com vocês é que os blogueiros que jogaram essa sala adoraram, e que eles levaram vários sustos. Dava para ouvir os gritos lá da recepção. Eles, infelizmente, não escaparam por pouco.

spoiler: quem consegue escapar ganha uma bomba! rs

Quem me acompanha aqui no blog e nas redes sociais já sabe que eu amo jogos de escape, e amei também o Escape Zone. Já estou doida para voltar e conhecer as outras salas! 

O que fazer em Salvador: praias e pontos turísticos

Salvador: capital baiana, capital do axé, uma das cidades brasileiras mais amadas pelos gringos, sol, praia, mar, um sotaque lindo, muita cultura e muita história. É difícil resumir em poucas palavras uma cidade tão incrível como essa.

Estive lá em janeiro desse ano com minha família e, apesar de muita gente falar mal da cidade, nós adoramos! O mais legal é que ela agrada quem gosta de locais históricos, quem gosta de praia, de festa, de comer... Pensa numa cidade "arretada" e eclética? É Salvador!

Quer saber o que fazer em Salvador, quais são as melhores praias e os principais pontos turísticos da cidade? Então anota aí:

Onde ficar em Salvador

Salvador é uma cidade muito grande e dependendo de onde você se hospedar, pode acabar gastando horas no trânsito. Por isso, é importante escolher um bairro mais centralizado.

Uma publicação compartilhada por Débora Resende (@blogfoconomundo) em
Vista do quarto do Bahia Othon Palace

Eu e minha família nos hospedamos em Ondina, no Othon Palace. O hotel é excelente, mas não gostamos muito de ficar em Ondina, porque lá não tem muito o que fazer, nem praias boas. A vantagem é que está razoavelmente perto das praias Farol e Porto da Barra (fomos andando várias vezes, e de uber dava menos de 10 reais). 

Booking.com

Porto da Barra ou Farol da Barra

Na minha opinião, essa é a melhor localização. As duas praias estão uma do lado da outra, é onde está localizado o museu, tem um shopping, vários bares e restaurantes que funcionam até tarde e quando há algum evento é por ali que ele acontece.

Além disso, essas duas praias estão bem no meio das principais atrações que ficam opostas: o centro histórico + igreja do bonfim de um lado, o aeroporto e as praias de Stella Maris e Lauro de Freitas do outro.



Centro histórico

A maioria dos pontos turísticos de Salvador está concentrada no Centro histórico da cidade. Ele fica um pouco afastado das praias mais populares — cerca de 20 minutos de carro da praia Porto da Barra – mas é um passeio praticamente obrigatório e que vale muito a pena. Se você estiver sem carro na cidade, dá para ir de ônibus ou de uber/táxi.

É um passeio que vale um dia inteiro para conseguir ver as principais atrações com calma. Porém, é bem cansativo porque as atrações são um pouco distantes e tudo é feito a pé. Nós fomos de manhã e voltamos no meio da tarde, não conseguimos conhecer tudo porque estávamos exaustos.

Duas dicas importantes: primeiro, todo mundo diz que esse é o local mais perigoso da cidade, principalmente os moradores de Salvador. Eu não tive nenhum problema e nem vi nada acontecendo, mas é sempre bom ter cuidado, né?

Segundo, assim que você chegar no centro histórico você vai encontrar (ou ser encontrado por) vários guias. Se quiser, você pode contratar o serviço de algum deles ali mesmo. Se não quiser, recomendo que faça o mal educado e nem dê ideia para eles, porque eles são muito insistentes, até inconvenientes as vezes. O mesmo para os vendedores (ambulantes) de colar e outros artesanatos. Eles chegam te oferecendo uma fitinha de presente e nunca mais largam do seu pé.

Pelourinho

O local mais famoso de Salvador, e um dos mais famosos do Brasil é o Pelourinho. "Pelourinho" é uma coluna de pedra, que geralmente fica no centro de uma praça ou qualquer local público, e seu uso mais comum era para castigar criminosos ou escravos. 



O que conhecemos hoje como "Pelô" é o bairro onde, antigamente, ficava o pelourinho de Salvador. De uma situação tão triste nasceu um lugar lindo, com uma arquitetura bem diferente e que é superimportante para a história do Brasil. 

Depois da gravação de um clipe do Michael Jackson o Pelourinho ficou mundialmente conhecido, mas o local também foi palco de outros clipes/filmes, incluindo um clipe de Julio Iglesias e o filme Ó paí, ó. 


Se você quiser entrar no local onde era o camarim do MJ e sua equipe, é só fazer uma compra de pelo menos 5 reais na lojinha que fica logo embaixo e o dono te deixa subir (minha mãe comprou 2 imãs de geladeira e o cara disse que nós quatro poderíamos subir). Já adianto que lá dentro não tem nada, é sujo e escuro. A única graça é tirar uma foto na varandinha ao lado do Michael em tamanho real.


Outra atração bem popular no Pelourinho é a Fundação Casa de Jorge Amado. É uma ONG que reúne um acervo bem legal para quem gosta de literatura. A entrada é 5 reais para qualquer pessoa, e às quartas feiras é gratuito.

Igreja do Carmo


O Centro histórico possui três igrejas, se não me engano, e não me lembro exatamente porque decidimos conhecer a Igreja do Carmo, mas esse é um local bem importante e vocês podem ler mais aqui

Cruz Caída


A Cruz Caída é um monumento bem bonito que foi criado em homenagem à antiga Igreja da Sé. Ela está localizada bem pertinho do Elevador Lacerda e a vista lá do alto é lindíssima. Dá para ver o Mercado Modelo e dizem que o pôr do sol ali é maravilhoso! 

Elevador Lacerda


O Elevador Lacerda foi o primeiro elevador do mundo a transportar pessoas, inaugurado em 1873. Ele liga a Cidade Alta à Cidade Baixa em Salvador, e é a forma mais fácil de ir de um lugar para o outro. É um elevador comum, fechado (não é panorâmico como muita gente pensa), a viagem dura 22 segundos e o preço para descer é 15 centavos por pessoa.

Mercado Modelo


Assim que você sair do Elevador Lacerda, você estará bem próximo ao Mercado Modelo, que fica do outro lado da rua. No Mercado você encontra de tudo, de comida a brinquedo, de roupas a objetos de decoração, souvenirs e muito mais. Lá também há alguns bares e restaurantes, e nós almoçamos em um deles.

Igreja do Bonfim

Nós achávamos que a Igreja do Bonfim também estava no centro histórico mas descobrimos que ela fica um pouco mais longe. Do Mercado Modelo até a igreja, a viagem dura uns 20 minutos de carro. Já da praia Porto da Barra, são aproximadamente 35 minutos de carro. É a igreja mais famosa e importante de Salvador. 

Como eu disse, estávamos exaustos quando saímos do centro histórico, então acabamos não conhecendo a igreja. Depois, achamos que não valia a pena sair de Ondina, que é ainda mais longe que Porto da Barra, apenas para ir lá. Mas, acho que vale a pena se programar direitinho para conhecer a famosa Igreja do Bonfim e amarrar sua fitinha por lá.

Museu Náutico


O Museu Náutico está localizado no Forte de Santo Antônio da Barra, um forte que foi construído antes mesmo de Salvador existir. Ele está entre as praias Farol da Barra e Porto da Barra.

Acabamos entrando ali por acaso, mas valeu muito a pena. O acervo do museu é bem legal e dá para aprender um pouquinho sobre navegação, instrumentos náuticos, naufrágios e ainda há algumas réplicas de barcos. 


Mas, mesmo o museu sendo bem legal, confesso que minha parte favorita foi ver o Forte e o Farol, que tem uma vista lindíssima! E sim, só dá para visitar o Farol se pagar o ingresso pelo museu. O valor é R$15 a inteira (se for estudante, não esqueça sua carteirinha).

Rio Vermelho

Rio Vermelho é um dos bairros mais famosos de Salvador, um dos lugares mais badalados durante a noite. Há alguns barzinhos e uma pracinha com várias barraquinhas de comida, inclusive os dois acarajés mais famosos da cidade (que meus pais experimentaram e não gostaram).

Praias de Salvador

Não dá para ir à Bahia e não curtir uma praia, né? Antes de eu ir, todo mundo me dizia que as melhores praias estão em Stella Maris e em Lauro de Freitas (que já é outra cidade). Elas são um pouco afastadas da área mais central de Salvador, então é preciso estar de carro para conhecê-las. Eu acabei não conhecendo muitas por ali, e em vários dias ficamos na Barra mesmo. Veja as praias que conheci:

Praia Porto da Barra



Porto da Barra é uma praia bem bonita, porém estava sempre lotada (em janeiro)! O mar ali é bem tranquilo, sem ondas e ótimo para crianças. Nós não conseguimos ficar nela nem um dia, por falta de espaço mesmo, rs. 


Praia Farol da Barra


Também estava sempre cheia, mas um pouco menos que a anterior. É bem bonita, o mar é um pouco mais agitado, com pequenas ondas e foi ali onde a gente ficou quase todos os dias.

Praia do Flamengo - Stella Maris


A Praia do Flamengo fica localizada em Stella Maris, um pouco distante das duas acima (cerca de 40 minutos a 1h de Porto da Barra até a Praia do Flamengo). Ela é bem diferente das que eu já citei: uma faixa de areia bem larga, praia bem tranquila, bem mais vazia e com o mar mais agitado. 

Praia de Itapuã

Também conhecida (por mim) como a pior praia que eu já conheci! Sério, que lugar horrível! A praia é fedida (um aroma de banheiro sujo), imunda (muito lixo e lotada de alga), muito cheia e muito mais cara que todas as outras. Sem falar que ela é bem longe também, um pouco menos que a do Flamengo.



A hora de ir embora da praia de Itapuã foi um caos!!! Mais de meia hora esperando um ônibus que não passou (e todos que passavam iam embora lotadíssimos, já que o ponto estava lotado), desistimos e chamamos um uber (que depois de 15 minutos cancelou e o próximo gastou mais uns 20 minutos para conseguir chegar lá). E enquanto esperávamos, vimos alguns meninos de olho no meu celular. Foi nosso último dia na cidade, o único dia ruim (péssimo)!

Não queria terminar o post de forma negativa, mas é o que temos para hoje. Mas, acho que deu para vocês perceberem o quanto eu amei Salvador e o quanto essa cidade é incrível e cheia de atrativos legais, né? Vale muito a pena uma visita! Deixe um comentário e me conta qual das atrações você tem mais vontade de conhecer :)

Lapinha da Serra: onde se hospedar, o que fazer e outras dicas importantes

Lapinha da Serra é um distrito de Santana do Riacho, que faz parte do circuito da Estrada Real e está localizado no topo da Serra do Cipó, há 140km de Belo Horizonte. É um destino perfeito para quem curte ecoturismo e esportes de aventura, ou para quem quer apenas curtir um delicioso final de semana de descanso!


Se você quer fugir um pouco da cidade grande e vai conhecer Lapinha da Serra, anote todas as dicas a seguir:

Dicas gerais sobre Lapinha da Serra

Estrada de terra: saindo de Belo Horizonte, a viagem dura cerca de 3 horas. Os últimos 12km da viagem — logo após Santana do Riacho — são em estrada de terra, e o trajeto dura cerca de 40 minutos. A estrada é muito boa e, se não estiver chovendo, qualquer carro consegue chegar lá em cima.

O que não tem na Lapinha: não há sinal de celular na Lapinha, de nenhuma operadora! Também não há caixa eletrônico, posto de gasolina, hospital ou farmácia. Além disso, nenhum estabelecimento aceita cartão, apenas dinheiro vivo! Portanto, programe-se antes de pegar estrada!

Clima: o clima pode variar bastante no mesmo dia, então é bom ter roupas para o calor e pelo menos um casaquinho. No fim do outono e no inverno pode fazer bastante frio e ventar muito, então é bom tr bastante agasalho nessa época.

Alimentação: nós acabamos comendo apenas no sítio onde estávamos hospedados, mas eu sei que há algumas opções de restaurante no centrinho da Lapinha. Há também mercearias e padarias.

Onde ficar: Sítio Jatobá Lapinha

Essa viagem aconteceu graças a um convite do Sitio Jatobá ao grupo @uaitravelmg, do qual faço parte. Foi um final de semana delicioso, na companhia de vários blogueiros incríveis e em um cenário indescritível!


O Sítio Jatobá conta com 3 casas: a Casa Flamboyant, a Casa dos Ipês e a Casa Pau Brasil. Cada uma tem capacidade para até 6 pessoas, sendo dois quartos de casal e um sofá-cama na sala. As três ficam no mesmo terreno, mas a distância entre elas é perfeita! Elas estão próximas, o que é ótimo para grupos que alugam mais de uma casa, mas ao mesmo tempo estão longe o suficiente para garantir a privacidade e o sossego de todos.

Nós ficamos na casa Flamboyant e na dos Ipês. Elas são bem diferentes uma da outra, mas as duas são igualmente lindas e confortáveis! Todas  possuem cozinha equipada, TV a cabo, roupas de cama e toalhas. Além disso, as casas contam com wi-fi e toda a receptividade dos caseiros que moram ali ao lado.

Casa dos Ipês


Vou começar falando sobre essa casa pois foi nela que eu dormi e porque fiquei encantada com essa casinha de madeira tão aconchegante. Ela parece uma casa na árvore de tão gracinha, e tem uma vista privilegiada, além de ser bem espaçosa.

Tem uma varanda enorme que contorna toda a casa, e um espaço externo bem legal, com uma mini churrasqueira e um gramado bem grande. Foi lá onde fizemos nosso "arraiá", que foi superdivertido!



Os quartos são bem espaçosos e tem janelas de vidro bem grandes, com vista direto para as montanhas! A cama é superconfortável e os cobertores bem quentinhos! Essa casa não possui suíte, apenas um banheiro entre os dois quartos.


Casa Flamboyant

A Casa Flamboyant é bem diferente da dos Ipês, mas também é maravilhosa e tem um ar bem mais sofisticado, enquanto a outra é mais rústica. Sua decoração é muito linda e bem diferente, com pedras nos quartos e as portas externas são todas de vidro, para você não perder nem um segundo da vista linda do lado de fora. 


Os dois quartos são suíte, e um deles é bem maior que os outros. Ela também possui uma varanda e ainda tem um terraço, que é pequeno mas é lindo demais! O único problema que encontramos na Casa Flamboyant é que a internet não estava funcionando muito bem.



Atrativos do Sítio Jatobá Lapinha


Além das casas lindíssimas e da vista incrível do Sítio Jatobá, o local ainda conta com atrativos bem legais! É possível andar de caiaque, de barco e praticar stand up paddle. Eu não fiz nada disso porque estava muito frio e eu morro de medo de água, rs. Mas alguns blogueiros se aventuraram e adoraram!

O lugar é maravilhoso, perfeito para um fim de semana muito gostoso em família ou com os amigos! 

Insta: @sitiojatoba_lapinha
Site: www.sitiojatoba.com
Email: antonio@sitiojatoba.com | reservas@sitiojatoba.com

O que fazer: Trilhas e cachoeiras em Lapinha da Serra

Os principais atrativos de Lapinha da Serra são as cachoeiras e as trilhas. Se você quer passar um tempinho em contato com a natureza, vai amar esse lugar!

Cachoeira do Lajeado


Essa foi a única cachoeira que consegui conhecer. Foi o grupo quase completo em uma trilha de 2 horas até chegar na cachoeira. A trilha é razoavelmente tranquila, sendo a maior parte em uma estradinha de terra reta. Há poucas subidas e descidas e poucos caminhos de pedra, e até mesmo uma pessoa sem experiência e sedentária como eu consegue chegar lá sem grandes problemas.


O problema mesmo é na hora de voltar caminhando por mais 2 horas, com o corpo já cansado. E no dia seguinte, nem se fala... Não tinha uma parte do meu corpo que não doía, rs. Mas valeu a pena! Mesmo estando um pouco seca, a cachoeira é maravilhosa!

Cachoeira do Bicame

A cachoeira do Bicame é linda e bem famosa por ali, mas é preciso chegar cedo para conseguir visitá-la, pois ela é limitada a 30 visitantes por dia. A caseira do sítio Jatobá disse que o ideal é chegar lá por volta de 7h30 da manhã. 

Trilha para o Pico da Lapinha + Cachoeira do Rapel

Depois da trilha até a cachoeira do Lajeado eu não era ninguém! Mas, alguns blogueiros mais experientes nessa história de fazer trilha ainda animaram subir até o Pico da Lapinha no dia seguinte. São 10km de extensão no total, ida e volta, com um nível de dificuldade bem maior. Essa trilha dá acesso à Cachoeira do Rapel, que é bem famosa, e a outras cachoeiras também. 


Para entrar na cachoeira do Rapel é preciso pagar uma taxa de R$15 reais, e para chegar até o Pico da Lapinha a taxa é de R$25. Você pode ler um pouco mais sobre essa trilha no blog Pegadas na Estrada!

Sítios Arqueológicos

Na Lapinha da Serra é possível encontrar diversos sítios arqueológicos, alguns contam até com pinturas rupestres. Nós infelizmente não conseguimos conhecer, mas alguns estão abertos a visitação.


Lapinha da Serra é um lugar maravilhoso e que deixa saudade! Se gostou do post, não se esqueça de seguir o blog nas redes sociais para acompanhar em tempo real as próximas viagens! Instagram | Facebook

Mais lidos do mês

Siga! @blogfoconomundo