Navigation Menu

featured Slider

Destaques

Leia Também

Booking.com

Minhas experiências com hospedagem pelo Airbnb

O Airbnb é um site de aluguel por temporada, onde você pode alugar casas, apartamentos, quartos e studios em vários países no mundo inteiro. É uma excelente alternativa de hospedagem, principalmente para grupos grandes, mas também para famílias, casais e até sozinho. A grande vantagem de uma hospedagem pelo Airbnb é que o site possui opções para todos os estilos de viagem e de viajante.


Eu conheci o Airbnb em 2013 e me hospedei pela primeira vez em 2014. De lá para cá, já me hospedei pelo site 14 vezes, em 11 cidades diferentes — no Brasil e na Europa. Eu sempre tive boas experiências e já me hospedei em lugares e situações completamente diferentes.

Já me hospedei sozinha, com namorado e com a família. Já fiquei por um dia, por uma mês ou uma semana, em apartamentos, studios e quartos na casa de alguém. Como eu sei que muita gente ainda tem um pouco de receio em relação a hospedagens desse tipo, decidi compartilhar um pouco das minhas experiências por aqui!

As vantagens da hospedagem pelo Airbnb

Na minha opinião, se hospedar pelo Airbnb pode ter várias vantagens. A primeira é o preço que, geralmente, é melhor ou igual os preços de hotéis — e algumas vezes, até os hostels. Mas, pensando no custo-benefício, um apartamento no Airbnb é muito mais espaçoso, confortável e oferece muito mais privacidade que um quarto de hotel. Portanto, mesmo que o preço seja igual, eu prefiro usar o Airbnb.

Em outros casos, pode valer muito mais a pena alugar um quarto no Airbnb do que ficar em um quarto compartilhado em hostel. Os preços são semelhantes, mas o quarto no Airbnb será somente seu, então a privacidade, o conforto e a tranquilidade são muito maiores.

Para grupos grandes, a economia pode ser ainda maior já que pagar diárias de hotel para muitas pessoas pode sair um pouco caro.

Outra vantagem é que a maioria dos lugares que podem ser alugados no Airbnb possuem cozinha, um ótimo benefício para mochileiros que querem economizar. Sem falar que você terá a oportunidade de ficar em uma moradia local e conhecer um pouco mais da cultura da cidade/país que você está visitando.

Mais uma vantagem? Você pode ficar em lugar maravilhosos e super diferentes. Essa é a vista do local que fiquei em Montenegro:

Uma foto publicada por Débora Resende (@blogfoconomundo) em

A importância dos hosts no Airbnb

Uma das partes mais legais de se hospedar pelo Airbnb é a oportunidade de conhecer moradores locais, os hosts — os donos do lugar alugado. No geral, os hosts são muito receptivos e estarão sempre prontos para te ajudar. 

Eu já tive hosts que me buscaram na estação de trem/barco, que me ajudaram a pegar o transporte certo, que me deram dicas de passeios na cidade...

No fim do meu intercâmbio em Belgrado, precisei sair do dormitório e ir para um apartamento com meu namorado. O dono do apê nos buscou de carro no dormitório, nos ensinou a usar a máquina de lavar e nos emprestou um modem móvel de internet. Em Hvar, a dona do studio também nos buscou de carro pois o caminho tinha uma subida enorme e ficaria difícil subir andando e sem conhecer o caminho, já que as ruas lá são bem confusas.

Em Atenas, a moça que nos recebeu também foi nos buscar na estação de metrô para nos ensinar o caminho até o apartamento, que era meio confuso. Além disso, ela nos deu umas dicas sobre a cidade e nos informou a melhor forma de chegar no aeroporto na hora de ir embora.

Em Bruxelas, o dono do apê nos esperou até mais tarde, pois nosso ônibus atrasou. Depois de nos mostrar todo o apartamento ele nos ensinou a melhor maneira de pegar o metrô para o centro da cidade, nos mostrou o supermercado mais perto e ainda nos ofereceu um ticket de transporte público.

Em Londres, nosso host era brasileiro e foi um dos melhores que já tivemos. Ele nos buscou na estação de metrô, nos ajudou a comprar o cartão de transporte público, nos deu várias dicas de passeios diferentes na cidade e até trocou dinheiro com a gente, pois precisávamos de libras e ele de euros. 

Experiências como essas eu nunca viveria em um hotel ou hostel. A hospedagem pelo Airbnb é uma ótima oportunidade para conhecer mais a fundo e realmente presenciar a cultura local. É uma das minhas partes preferidas da experiência <3

Alugando um apartamento ou studio pelo Airbnb

Eu já aluguei apartamentos algumas vezes pelo Airbnb mas, na Europa, os studios são muito mais comuns. Os studios são como "mini-apartamentos" que geralmente possuem o quarto, banheiro e uma pequena cozinha ou, em casos mais raros, apenas uma geladeira. 

Eu gosto muito de alugar apartamentos, pois eles geralmente são bem confortáveis e eu me sinto como se realmente fosse uma moradora do local. Pode parecer bobo, mas é uma ótima experiência para se ter em viagens, principalmente no exterior. 

Em alguns casos, o dono do apartamento realmente mora lá e vai ficar em outro lugar enquanto você se hospeda ali. Aconteceu isso comigo em Bruxelas, o dono do apartamento sempre ficava na casa da namorada quando alguém alugava seu apartamento. Ele apenas trancava o quarto — nós dormimos em um sofá-cama na sala — e o restante do apê estava disponível pra gente, inclusive a comida do armário.

Em Atenas, o dono do apartamento passava o verão trabalhando com seus pais em Malta e, durante esse período, ele alugava seu apê. A namorada dele que ficava responsável por receber os hóspedes.  

Morando no Airbnb

Eu também já "morei" em um apartamento no Airbnb por um mês, na Alemanha, com meu namorado e um amigo. Eles estavam fazendo intercâmbio lá e eu fui visitar, mas precisávamos de um lugar para ficar enquanto a residência estudantil que meu namorado alugou não estava liberada.

Foi uma experiência bem legal, passar tanto tempo em um lugar só. Era realmente como se aquela fosse a minha casa, com os meus móveis e a minha vizinhança. Foi ótimo, pois nós ficamos muito mais confortáveis e pagamos bem menos que seria em um mês de hotel.

Alugando apenas um quarto na casa de alguém

Outra opção muito comum no Airbnb é alugar apenas o quarto, ao invés da casa inteira. Eu tive essa experiência em Londres, quando viajei sozinha pela primeira vez. Quem já foi a Londres sabe que hospedagem lá é muito caro e estava ficando apertado para o meu orçamento. Depois de procurar centenas de hostels com quarto compartilhado e não achar nenhum que parecesse bom e barato ao mesmo tempo, eu tive a ideia de procurar no Airbnb e encontrei uma excelente opção.

Era um quarto privativo, no apartamento de duas meninas mais ou menos da minha idade, em uma excelente localização. Quando eu cheguei, apenas uma estava lá e ela foi receptiva. Conversamos sobre Londres e sobre o Brasil, ela me mostrou tudo que eu precisava ver e depois me deixou a vontade.


Foi ótimo pois tive o quarto inteiro só pra mim, com uma cama de casal, um banheiro que seria dividido somente por mim e pelas donas da casa e tudo isso pelo mesmo preço do quarto compartilhado de um hostel não tão bom. Eu não sou a maior fã de quartos compartilhados, então foi muito bom ter uma privacidade a mais, além do sossego que não existe em um hostel.

Claro que isso depende muito do perfil de cada pessoa. Tem gente que jamais trocaria um hostel para ficar sozinho em um quarto no Airbnb, então é importante avaliar suas preferências. 

Dicas para não cair em furadas no Airbnb

Apesar do Airbnb ser um site confiável, é importante lembrar que cada anúncio é feito por uma pessoa diferente e que não está diretamente ligada ao site. Então, é muito importante avaliar cada anúncio individualmente, para ter certeza de que aquele lugar/host é confiável.

O mais importante é ler os comentários e ver as notas atribuídas ao local, localização e ao host. Eu não gosto de alugar lugares que não tem nenhum comentário. Fiz isso somente uma vez e não tive problemas, mas evito ao máximo e dou sempre preferências àqueles lugares com muitos comentários e muita referência positiva. Por isso, também é muito importante deixar seu comentário depois de se hospedar pelo Airbnb, falando das experiências positivas e negativas. Só assim os futuros hóspedes saberão o que esperar do local.

Você também pode conversar com o anfitrião antes de fazer a reserva, então faça isso e tire todas as suas dúvidas. Você pode pedir mais fotos se achar que as do anúncio não são suficientes, perguntar sobre a localização, sobre o que estará disponível para seu uso ou qualquer outra dúvida que surgir.

Não deixe de ler o anúncio com bastante atenção, pois nele estarão as informações sobre todas as comodidades do local, possíveis taxas, o que você tem direito ou não ali dentro e tudo mais que o host julgar importante.

Espero que minhas dicas tenham sido úteis para vocês que tem interesse em se hospedar pelo Airbnb. Não se esqueça que clicando aqui e se cadastrando no site você ganha aproximadamente 25 dólares de desconto na sua primeira reserva (e eu ganho também!)!

As melhores viagens de 2016

Fim de ano chegando, é aquela hora clássica de parar e pensar em tudo que passou. Para mim, 2016 foi um ano de altos e baixos, mas no geral o saldo foi positivo! Em relação às viagens, foi um ano um fraco se comparado a 2015, mas ainda assim foi incrível! Conheci lugares lindos e voltei a outros que eu já conhecia e que adoro!

Esse post faz parte da blogagem coletiva #top2016 da Rede Brasileira de Blogueiros de Viagens. A ideia era falar dos melhores lugares que visitei esse ano mas, como não viajei tanto assim, vou citar todos — em ordem cronológica!

Rio das Ostras - RJ



Rio das Ostras foi minha primeira viagem do ano, em janeiro. Foi minha segunda vez na cidade, com minha família. É uma cidade de praia que eu adoro, bem lindinha e tranquila! Leia: O que fazer em Rio das Ostras - RJ

Vila Velha - ES


Vila Velha é outra cidade de praia que eu adoro, e que já fui algumas vezes com minha família. Também é uma cidade linda e fica bem perto de Vitória, capital do Espírito Santo. Leia: Viagem de trem de Belo Horizonte a Vitória

Foz do Iguaçu - PR / Argentina / Paraguai


Posso dizer que Foz do Iguaçu foi minha maior viagem do ano, apesar de ter durado apenas 3 dias. Foi uma bela surpresa de 2016! Poder viajar com minha avó e conhecer lugares tão maravilhosos foi uma das melhores experiências do ano. E, para aproveitar, peguei um carimbo na Argentina e fui fazer compras no Paraguai :) Leia: Roteiro de 3 dias em Foz do Iguaçu

Carrancas - MG

Carrancas é uma cidadezinha mineira que tem várias cachoeiras e muitos lugares lindos para conhecer. Fui com a família do meu namorado mas, infelizmente, tivemos que voltar antes do planejado, já que estava chovendo muito. Mas, mesmo assim, conseguimos ir em uma cachoeira e foi incrível! Espero poder voltar em breve! Leia: Posts sobre Minas Gerais

Ouro Preto e Mariana - MG 


Uma foto publicada por Débora Resende (@blogfoconomundo) em

Ouro Preto e Mariana são duas cidades históricas que ficam bem próximas. Eu já conhecia as duas, mas tive a oportunidade de voltar durante o encontro de blogueiros da RBBV, que rolou em BH. Ficamos apenas algumas horas em cada cidade, mas já deu para matar a saudade e fazer algumas fotos lindas! Em breve terá post aqui no blog.

Quais desses lugares você já conhece ou tem vontade de conhecer? Tenho certeza que 2017 será um ano ainda melhor, em relação às viagens. Continuem acompanhando tudo aqui no blog e nas redes sociais. Desejo que seja um ano incrível para todos vocês! <3

Confira os #top2016 de outros blogs também e aproveite e para fazer a sua wishlist para 2017:
- D&D Mundo Afora

Guia de compras no Paraguai: melhores lojas e alfândega


O Paraguai por muito tempo foi associado a produtos falsificados e a contrabando. Mas hoje, fazer compras no Paraguai é sinônimo de produtos de qualidade, originais e por um preço muito menor que no Brasil. Claro que ainda há muita falsificação e muita "porcaria" no país, mas não é difícil diferenciar um produto do outro.

Estou escrevendo esse post em um notebook que foi comprado lá, em Ciudad del Este. Por ser uma coisa cara, muita gente ficou preocupada com as chances de eu acabar comprando um produto falso. Principalmente pelo fato dele custar cerca de 1/3 do valor brasileiro. Estranho, né? Na verdade, não! Essa diferença enorme de preço se dá pelas baixas – ou inexistentes – taxas de importação no Paraguai, além de outros fatores que você pode ver aqui.

Mas, claro, não dá para chegar em qualquer camelô no meio da rua e esperar encontrar um Iphone, um relógio ou um perfume originais. É preciso escolher uma loja confiável e com boas recomendações. E também é preciso lembrar que, dependendo do valor da sua compra você precisa pagar o imposto de importação na alfândega. Pois é, infelizmente é muito difícil escapar dos impostos brasileiros. Mas, ainda assim, na maioria das vezes é muito vantajoso fazer compras no Paraguai.

Quais são as melhores lojas?

O mais importante na hora de fazer compras no Paraguai é a escolha das lojas. Não adianta procurar apenas por aquelas que tem o preço mais baixo. É preciso saber se a loja é confiável e se seus produtos são originais. O ideal é dar preferência para as lojas que foram indicadas por alguém, que já comprou ali e não teve problemas.

Antes de ir eu pesquisei muito em blogs e grupos do Facebook, então vou citar as lojas que ouvi falar muito bem. Mas, eu não fiz compras em todas elas e, obviamente, não me responsabilizo caso você tenha algum problema nas lojas indicadas.

Loja de eletrônicos no Paraguai

Segundo minhas pesquisas, a Mega Eletrônicos é uma das lojas de eletrônicos mais confiáveis do Paraguai, além de ser uma das mais baratas. Foi lá que eu comprei meu Macbook, o modelador de cachos e minha avó comprou dois celulares. Eu pesquisei preços em várias lojas que me indicaram e essa foi onde eu encontrei os produtos mais baratos.

Ela é revendedora autorizada da Apple, então é uma excelente e confiável opção para quem quer comprar eletrônicos dessa marca. Eles vendem qualquer tipo de eletrônico que você pode imaginar, e uma grande vantagem é que há uma área para testes, então você pode ver se o produto está funcionando antes de sair do Paraguai.

Outras lojas que vi muita gente falando bem, mas que eu não conheci, foram a Cellshop, Casa Nissei e Centro Pioneer.

Lojas de cosméticos no Paraguai

O que não falta no Paraguai são lojas de cosméticos e maquiagem. Eu fiz compras em duas lojas diferentes, a Charme e a Elegância. Elas vendem basicamente os mesmos produtos, que são perfumes, maquiagem, produtos para cabelos e outros cosméticos e acessórios. No dia que eu fui, os produtos para cabelos estavam um pouco mais baratos na Charme.

É possível encontrar cosméticos de muitas marcas, inclusive aquelas mais famosinhas que costumam ser bem caras no Brasil. Pelo que eu percebi, os preços são bem semelhantes aos praticados nos Estados Unidos.

Diversas outras lojas são citadas como confiáveis por muita gente, como a Tiffany's, Amadeus, S.A Shop, Terra Nova e Ponto Com. 

Outras lojas no Paraguai

Há, ainda, muitas outras lojas que vendem produtos muito variados. O Shopping China, por exemplo, é uma loja imensa que vende desde cosméticos até eletrônicos, passando por brinquedos, alimentos, itens de decoração, roupas, entre outros... Eu entrei nessa loja e me surpreendi com seu tamanho, mas acabei não comprando nada.

A Monalisa é uma das lojas mais famosas de Ciudad del Este. Ela é uma espécie de galeria que vende diversos tipos de produtos de marcas famosas e um pouco mais caras. 

Real ou dólar? Qual moeda levar?

Qual a melhor forma de pagamento? Eis a grande questão. Todas as lojas no Paraguai aceitam tanto o real quanto o dólar, além de Guarani que é a moeda paraguaia. É possível pagar em dinheiro e a maioria das lojas aceita cartão de crédito, mas ele precisa ser internacional e não é possível parcelar. Além disso, no cartão de crédito é preciso pagar IOF (6,38%), então é bom fazer as contas para ver se vale a pena.

O preço de todos os produtos, em qualquer loja, é dado em dólares. O valor convertido para o real varia de acordo com a cotação do dólar no dia e esse valor pode variar de loja para loja.

Na minha opinião, é melhor levar real. Eu fiquei quase um mês acompanhando as cotações para ver o que seria melhor e percebi que:

 - O valor do dólar nas lojas do Paraguai estava igual ou alguns centavos mais barato que nas casas de câmbio. Por exemplo, enquanto escrevo esse post, a cotação do dólar está R$3,29. Na Mega Eletrônicos o dólar está R$3,45 e na casa de câmbio mais barata de Belo Horizonte o dólar está R$3,49. 

- Além disso, se eu fosse trocar o dinheiro, eu teria que pagar mais 1,38% de IOF. Levando real, eu economizei mais essa taxa que pode parecer pequena, mas pode fazer muita diferença para quem for levar uma alta quantia.
Então, a menos que você consiga comprar o dólar de alguém que voltou de viagem ou que consiga um preço muito bom, eu recomendo que leve real e evite o cartão de crédito! Claro que é preciso tomar cuidado, mas eu achei bem tranquilo andar com dinheiro por lá.

Preciso declarar minhas compras na alfândega?

Eu expliquei tudo direitinho no vídeo que está no começo do post, então assiste lá para não ter nenhuma dúvida (a partir do minuto 6:36). Mas, resumindo, cada pessoa tem o direito de comprar 300 dólares no Paraguai. Tudo que ultrapassar esse valor, será tributado em 50%. Ou seja, se você comprar um notebook de 900 dólares, terá excedido 600 dólares do máximo permitido. Sendo assim, você terá que pagar 300 dólares de taxa na alfândega, correspondente a 50% do valor excedido.

Não deixe de assistir o vídeo, pois lá eu conto sobre a minha experiência e sobre o que acontece caso você "decida" não pagar o imposto.

Dicas para quem vai fazer compras no Paraguai

- Se você levar dinheiro vivo para comprar eletrônicos ou outros produtos que sejam grandes demais para ficar carregando, algumas lojas permite que você faça a compra e busque o produto depois. 

Por exemplo, eu fui comprar meu notebook assim que cheguei no Paraguai, escolhi, fiz o pagamento e guardei a notinha. Depois, antes de ir embora e depois de ter andando em várias lojas, voltei lá para buscar o notebook. Assim, não precisei ficar andando com o dinheiro na bolsa nem ficar carregando a caixa pesada e que chama a atenção.

- Dá para ir de ônibus para a Ciudad del Este, saindo de Foz do Iguaçu. Mas, por uma questão de conforto e segurança, eu indico que contratem um transfer. Eu fui com o transfer da agência Combo Iguassu, que foi parceira do blog nessa viagem!

- Se tiver tempo, faça uma boa pesquisa de preços antes de comprar os produtos. Os valores podem variar muito de uma loja para a outra.

- Não dê muita ideia para os vendedores ambulantes (principalmente para os que vendem meias) e para as pessoas que ficam oferecendo "ajuda". Se deixar, eles vão ficar andando atrás de você um tempão tentando te convencer a comprar qualquer coisa que eles estiverem vendendo. Não tenha medo de parecer rude, simplesmente ignore.

Espero muito que essas dicas ajudem vocês que estão indo fazer compras no Paraguai. Se você já foi à Ciudad del Este, deixe um comentário contando pra gente quais são suas lojas preferidas!

Mais lidos do mês

Siga! @blogfoconomundo