Navigation Menu

featured Slider

Destaques

Leia Também

Booking.com

8 coisas que aprendi viajando

Eu sempre digo que viajar é o melhor investimento que se pode fazer na vida. "Uma viagem é a única coisa que você compra e te deixa mais rico." Não rico de dinheiro, mas rico de conhecimento e experiências, e isso é a única coisa que ninguém pode tirar de você. Eu aprendi mais em viagens do que em muitos anos de escola e faculdade. Minha última viagem durou 5 meses e eu aprendi muito mais durante esse tempo do que teria aprendido em 5 anos se não tivesse saído da minha zona de conforto.

"Quem tem boca vai a Roma"
Aposto que você conhece esse ditado, apesar dele não ser exatamente assim. O fato é que, independente do idioma que você fala ou deixa de falar, quando precisar você vai conseguir se comunicar. Rola mímica, tradutor e até uma mistura de idiomas se precisar, então, não deixe de viajar por não falar inglês ou o idioma oficial de algum país. Eu passei seis semanas em um país onde nem o alfabeto era igual ao nosso e foi quando eu pude melhorar mais o meu inglês e até aprender algumas palavras novas em outras línguas.

Camisa com ícones para facilitar a comunicação
Não precisa ter medo
Notícia ruim é o que vende mais, então quando você for pesquisar sobre algum país, provavelmente vai encontrar muita coisa sobre os defeitos e problemas daquele lugar, e quase nada sobre suas qualidades. A verdade é que nenhum lugar é perfeito ou totalmente seguro, mas no mundo existem muito mais coisas e pessoas boas do que o contrário. Claro que é preciso tomar cuidado em qualquer lugar do mundo, mas não precisa ter medo de viajar sozinho, nem de viajar para longe ou para um lugar completamente diferente. 

Até os momentos ruins se tornam boas histórias
Se você espera fazer uma viagem perfeita, sinto te decepcionar mas isso não existe. Quanto mais longa for sua viagem, mais chances existem de acontecer problemas, imprevistos e muitos perrengues. Mas quando você volta para casa, são esses momentos que você vai compartilhar com seus amigos e morrer de rir.  Dormir no aeroporto, perder o voo, ter algum prejuízo financeiro, se hospedar em um lugar horrível... Os momentos ruins vão te trazer muito aprendizado e provavelmente serão os mais inesquecíveis.

Obrigada
É sempre bom aprender algumas palavras básicas no idioma local para parecer mais amigável. Olá, Bom dia, Por favor... Obrigada! Thank You! Gracias! Hvala! Danke! Merci! Grazie! 


Livre-se pré-conceitos e esteriótipos
Provavelmente, tudo que você sabe sobre a cultura de países e povos que você não conhece são informações estereotipadas, criadas por filmes ou coisas do tipo. Livre-se desses conceitos pré-concebidos antes de viajar para algum lugar e garanto que você vai ter boas surpresas. Muçulmanos não são terroristas (e sim pessoas incríveis!), franceses não são fedorentos, nem todo americano ama fast food, alemães podem ser simpáticos e amigáveis, assim como nem todo brasileiro gosta de futebol ou sabe sambar, né? 

Viva mais e tenha menos
Eu sempre fui meio consumista, até decidir viajar e começar guardar 100% do meu salário para isso. Passei seis meses comprando apenas o que era absolutamente essencial, e depois durante a viagem passei um mês apenas com uma mala de 10kg, o que não me permitia comprar nada. Claro que eu ainda amo fazer compras e de vez em quando compro coisas dispensáveis e fúteis, mas descobri que sou muito mais feliz gastando meu dinheiro com experiências do que com objetos.

Uma foto publicada por Débora Resende (@deehre) em

Previna-se
Isso vale para qualquer momento da vida, mas principalmente quando se está longe de casa é muito importante estar sempre prevenido. Mesmo se tiver internet no celular, é bom ter um print dos mapas e anotar o número do transporte público que você vai usar. Nunca se sabe quando a internet vai parar de funcionar, né? Leve um casaco mesmo se estiver viajando no verão e roupas de banho mesmo se for inverno, tenha cópia dos seus documentos no seu e-mail, faça um seguro de viagem, leve algumas trocas de roupas na mala de mão... Pode parecer exagero em alguns casos, mas é sempre importante considerar que as coisas podem dar errado ou não serem exatamente como você imaginou, assim a chance de passar algum perrengue é menor.

Voltar para casa é muito bom
Apesar de viajar ser a melhor coisa da vida (pelo menos na minha opinião), voltar para casa é sempre bom! Deitar na sua cama, tomar banho no seu chuveiro, comer sua comida preferida e estar perto das pessoas que você ama... 

Mas meu principal aprendizado foi sobre mim mesma. Durante as viagens eu pude me conhecer melhor, descobri que sou muito mais forte do que imaginava, sou capaz de fazer qualquer coisa que eu quiser e posso muito bem me virar sozinha. Descobri que detesto frio e que não sou tão ruim para puxar assunto quanto eu imaginava. Viajando eu descobri uma profissão que eu amo e descobri o que quero para o meu futuro. E aprendi que me tornei uma pessoa melhor depois que comecei a viajar!

Intercâmbio na África do Sul

O Humberto Matos tem 31 anos e fez intercâmbio na África do Sul. Ele é designer e idealizador de um projeto muito legal de arte sustentável, chamado O Lixo Vira Arte.


Quanto tempo durou seu intercâmbio? O que você foi fazer lá?
Fui para Cape Town estudar inglês durante três meses, em 2012/13. Estudei na Cape Studies, uma excelente escola localizada no bairro de Green Point. A principio eu pensava em ir para o Canadá ou Estados Unidos, porém a ICCE (agência que intermediou meu intercâmbio) que me mostrou outras alternativas de intercâmbio, como Austrália, África do do Sul, Irlanda... Escolhi a África do Sul por ser um país colonizado pelos Ingleses e Holandeses, então o inglês ensinado nas escolas é Britânico. Além disso, o clima é muito parecido com o do Brasil e o real vale 4 vezes mais que o rands, a moeda Africana.
Nós temos a impressão que os melhores países para intercâmbio são somente Canadá e Estados Unidos, porém o mundo é muito grande e cheio de surpresas e existem intercâmbios para todos os gostos e bolsos. 

Qual foi a melhor e a pior parte da sua viagem?
A pior parte foi tentar me socializar no começo do intercâmbio. Eu não falava inglês muito bem, e ficava com vergonha de conversar na escola, porém depois de 2 semanas eu já estava enturmado.
A melhor parte foram as pessoas que conheci. Tive a felicidade de conviver com uma família Sul Africana muito legal e especial, os amigos que fiz de vários países e professores excelentes.

Quais as principais diferenças e semelhanças entre o Brasil e a África do Sul?
O clima é parecido, porém na praia a água é muito gelada e chega a 11 graus, ouvi dizer que a corrente vem das geleiras derretidas da Antártica. A paisagem de Cape Town é um misto de montanhas, praias e floresta. A cidade também passou por um fato histórico, o Apartheid, onde negros e brancos não podiam conviver juntos. A casa onde eu morei em Green Point ficava no alto e sempre que eu abria a janela do meu quarto eu via a Robben Island, local onde Nelson Mandela ficou preso por 28 anos. Eu, como negro que sou, fui muito feliz por ter vivido essa experiência.  







O que tem de mais legal para um viajante conhecer e/ou fazer na cidade?
Tem muita coisa legal na cidade, mas as principais são: Table Mountain que é cartão postal da cidade; as praias belíssimas: Camps Bay, Clifton, Boulders Beach, a praia dos pinguins, Noordhoek Beach; Long Street, a rua das baladas no centro; Waterfront; Green point Stadium.








Tem alguma comida típica que você acha que todo mundo deveria experimentar? 
Frutos do mar de todos os tipos, são muito baratos. Cervejas e vinhos são muito bons também.

Se eu for para Cape Town, eu não posso deixar de...
Se divertir, estudar, tomar bons drinks, ir a balada e ser feliz, são tantas coisas que existem em Cape Town... O
lugar é um paraíso na Terra.   



Como conhecer o Cristo Redentor

Além de ser o ponto turístico mais famoso do Brasil e nosso principal cartão postal, o Cristo Redentor é uma das sete maravilhas do mundo moderno. Visitar a estátua é quase uma obrigação para quem vai visitar a cidade do Rio de Janeiro.

O Cristo Redentor foi inaugurado em 1931 e está localizado no alto do Morro do Corcovado, dentro da Floresta da Tijuca. Já o Trem do Corcovado, um dos meios de transporte usados para chegar ao Cristo, foi inaugurado quase 50 anos antes, em 1884 por Dom Pedro II. Atualmente, o Cristo recebe cerca de 600 mil visitantes por ano.
Dicas de hotéis e hostels baratos no Rio
É possível chegar ao Cristo de van ou através do trem do Corcovado. Eu recomendo o trem, pois além de mais rápido, ele por si só já é um passeio legal, que atravessa a floresta da Tijuca e tem paisagens incríveis. É preciso comprar o ingresso com antecedência através do site oficial ou dos pontos de vendas. Os valores para adultos são R$56 reais em baixa temporada e R$68 reais em alta temporada, finais de semana e feriados. Crianças pagam R$44 reais e idosos brasileiros ou residentes pagam R$22 reais em qualquer época do ano. Nesse valor está incluso a ida e volta de trem, e a visita ao Cristo Redentor. O trem sai do bairro Cosme Velho, a cada 30 minutos, de 8h as 19h.

Para ir de Van, o ingresso custa R$53 reais em baixa temporada e R$65 reais em alta temporada, finais de semana e feriados. Crianças pagam R$41 reais e idosos brasileiros ou residentes pagam R$32 reais em qualquer época do ano. As vans saem do Largo do Machado e de Copacabana a cada 15 minutos.

Além da estátua, que é maravilhosa, lá do alto a vista é incrível! É possível ver a Baía de Guanabara, o Maracanã, a Lagoa Rodrigo de Freitas e as praias mais famosas da cidade. Atrás do Cristo tem uma capela bem pequenininha. O local oferece uma estrutura muito boa para os visitantes, com elevadores, escadas rolantes, banheiros, lanchonetes e lojinhas de souvenirs.

Pontos turísticos do Rio no blog Mariana Viaja.
Kari Desbrava - Um blog cheio de dicas para quem vai visitar o Rio de Janeiro.




Mais lidos da semana

Follow @ deehre